MANSUP – Lançamento do primeiro protótipo

O portal Defesanet noticiou, no dia 29/11, o lançamento do primeiro protótipo do Míssil Antinavio Nacional de Superfície (MANSUP) pela Marinha do Brasil.
Texto do Defesanet:

“A Marinha do Brasil em dois suscintos tuites informou, na noite de quinta-feira (29NOV2018) que realizou o lançamento do primeiro protótipo do Míssil Antinavio Nacional de Superfície (MANSUP).

O lançamento estava previsto para ocorrer no dia 17OUT2018, mas foi adiado para esta terça-feira.

A Marinha do Brasil  lançou, na última terça-feira (27NOV2018), o primeiro protótipo do Míssil Antinavio Nacional de Superfície (MANSUP), a 300 km do litoral do RJ. O míssil, lançado pela Corveta “Barroso”, tem 5,6 m de comprimento, pesa cerca de uma tonelada e alcança 1000 km/h em menos de 7 segundos.

Os dados obtidos com o lançamento do MANSUP permitirão prosseguir na evolução desse projeto, desenvolvido com tecnologia exclusivamente nacional, que colocará o Brasil no seleto grupo de fabricantes de mísseis desse porte.

Dados de performance e características técnicas fornecidos pela SIATT:
• Míssil superfície-superfície, antinavio, para lançamentos a partir de navios
• Alcance máximo: aprox. 70 km
• Velocidade transônica
• Guiagem: inercial e radar ativo na fase terminal
• Voo em altitude “sea skimming” (rente ao mar)
• Motor-foguete com propelente sólido
• Operação em quaisquer condições climáticas

Parceiros do Programa

Fundação Ezute

Executa o projeto de gestão integrada que articula e supervisiona o processo de desenvolvimento de um Míssil Antinavio Nacional de Superfície (MANSUP).

O escopo geral do empreendimento compreende o desenvolvimento e fabricação no Brasil de protótipos do MANSUP, de desempenho similar ao do EXOCET MM40B1 e que venha a ser seu sucedâneo. Trata-se de um míssil de uso naval, do tipo Superfície-Superfície.

Desde 2010, a Fundação Ezute integra o trabalho de diferentes fornecedores e das três empresas contratadas para desenvolver a tecnologia deste míssil inteligente, projetado para realizar voos do tipo “sea skimming”. Este escopo deverá ser atingido a partir do trabalho conjunto a ser desenvolvido pela Fundação Ezute e pelas Contratadas. Três protótipos do míssil serão testados até o início do processo industrial da versão brasileira.

SIATT – Sistemas Integrados de Alto Teor Tecnológico

É responsável por fornecer o Sistema de Guiagem, Navegação e Controle e o Sistema de Telemetria do MANSUP.

AVIBRAS Aeroespacial

Cabe à AVIBRAS Aeroespacial o desenvolvimento do propelente e a cabeça explosiva. Assim como a integração do MANSUP.

OMNISYS (THALES)

Realiza o projeto do radar de detecção do alvoSEEKER (Sistema Autodiretor para Míssil Superfície-superfície), equipamento responsável pelo direcionamento do míssil antinavio na fase final de aproximação de um alvo.”

Fonte: Defesanet
Clique aqui para ver a matéria original