Fundação Ezute institui Diretoria para o segmento Civil

Nova estrutura prioriza projetos nas áreas de saúde, segurança pública, melhoria da qualidade do gasto público, mobilidade e meio ambiente

Com forte contribuição na área de Defesa e reconhecida pela presença em projetos estratégicos nessa área, a Fundação Ezute entra agora em nova fase, buscando atuar com a mesma intensidade no segmento civil, no qual já acumula um portfólio sólido de prestação de serviços.

A fim de auxiliar entidades públicas a repensar o Estado, aprimorando a gestão, a organização criou a Diretoria para o Segmento Civil, comandada por Marcello Palha, executivo com passagens por grandes players nacionais e internacionais do setor. Além de Marcello, a área conta com a experiência do engenheiro Geraldo Azevedo, que sempre ocupou cargos de destaque na Fundação Ezute, onde está desde 2003, e que agora atuará como Diretor-Adjunto. E trouxe, também, a PhD Florencia Ferrer, especialista em inovação para o setor e que se une à equipe Ezute como Executiva de Gestão Pública.

Apesar de recém-lançada, a Diretoria para o Segmento Civil está inserida numa organização que dispõe de um histórico de projetos de sucesso, como o SIGA-Saúde e o Bilhete Único, ambos para a prefeitura de São Paulo; a gestão das instalações para esporte de alto desempenho dos Jogos Olímpicos 2016, prestando apoio ao Ministério do Esporte; o gerenciamento da implantação do Sistema de Informações Integradas da Sabesp; entre outros. A estratégia da Ezute para 2017 é priorizar projetos nas áreas da melhoria da qualidade do gasto público, saúde, segurança pública, meio ambiente e mobilidade.

“Estamos promovendo uma reestruturação organizacional para nos posicionarmos melhor no setor civil e conquistarmos o mesmo reconhecimento que já dispomos na área de defesa, além de ampliarmos nossa área de atuação”, comenta o novo diretor da Fundação Ezute, Marcello Palha.

Segundo ele, a Fundação Ezute levará sua vocação de parceiro isento para contribuir com a melhoria da gestão em todas as esferas de governo, oferecendo competência técnica e gerencial para o desenvolvimento de projetos que visem melhorar a vida da população.

Um dos diferenciais que a organização já oferece aos governos federal, estaduais e municipais é a concepção de projetos por contrato de Parceria Público-Privada (PPP). Sua atuação permeia desde a concepção do marco legal e do projeto de PPP até o processo licitatório e de contratação da empresa que irá desenvolvê-lo. Além disso, a Ezute é capacitada para fazer o papel de verificadora independente da licitação.

Currículo – Equipe da Diretoria para o Segmento Civil

Marcello Palha – Executivo com 20 anos de experiência. Com passagem por empresas nacionais e internacionais no segmento de Consultoria e Tecnologia como Accenture, Indra e Thales, possui experiência na Administração Estratégica, Tática e Operacional, com atuação na recomendação e implementação de novos modelos ou melhorias para o negócio, através do uso alinhado das tecnologias de mercado, fluxos e processos, nos setores público e privado. Possui sólida experiência executiva em administração e desenvolvimento de negócios.


Geraldo Azevedo –
Engenheiro Eletrônico com mais de 30 anos de atuação. Experiência multidisciplinar em organizações nacionais, com prática em gestão empresarial, desenvolvimento de mercado, elaboração de planos de negócios, gestão e planejamento de contratos e coordenação de serviços técnicos especializados em engenharia de sistemas. Profissional com vivência no desenvolvimento de relações institucionais, estruturação de sociedades de mercado, participação em missões empresariais, abertura de mercado internacional e modelagem de negócios estratégicos, tendo participado de Conselhos de Administração de empresas.

Florencia Ferrer – Socióloga pela Universidade de Buenos Aires, mestre, PhD e doutora pela Universidade de São Paulo, além de professora pesquisadora da Fundação Getúlio Vargas e da Escuela de Política y Alto Gobierno da Fundación Ortega y Gasset (Espanha). Especialista em inovação para o setor público, ajuda o primeiro escalão de governos da América Latina a repensar o Estado. Desenvolveu projetos voltados à reformulação de políticas públicas para presidentes, ministros, governadores e secretários de Estado, e trabalhou com organizações internacionais, com destaque para a OEA, BID e Banco Mundial. Foi também Diretora de Public Sector Innovation na KPMG.