Fundação Ezute e ANPTrilhos firmam convênio

Iniciativa visa ampliar e aprimorar transporte de passageiros sobre trilhos

    

A Fundação Ezute e a Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) firmaram um convênio, nesta segunda-feira (27), pelo qual estabeleceram um acordo de colaboração e cooperação para estruturação de projetos que permitam ampliar e aprimorar o desenvolvimento e a gestão do transporte de passageiros sobre trilhos.

O convênio possibilitará a formalização de acordos específicos para desenvolvimento de atividades de formação, informação e o intercâmbio de documentação científica e técnica relacionada às áreas de transporte e mobilidade urbana que possam beneficiar a elaboração de projetos de transporte sobre trilhos no país.

As equipes técnicas da ANPTrilhos e da Fundação Ezute desenvolverão projetos com os quais buscarão contribuir, não só para estimular a inclusão dos trilhos no planejamento de transportes das cidades, mas também para orientar como esses projetos deverão ser estruturados, agregando conhecimento e criando novos paradigmas sobre o tema.

O convênio prevê, como um primeiro trabalho, a produção de um Documento Orientador para Estruturação de Projetos, cabendo à ANPTrilhos desenvolver a parte formativa relacionada aos transportes sobre trilhos. À Fundação Ezute, cabe a elaboração dos textos técnicos, bem como a parte formativa sobre estruturação e gestão de projetos complexos para capacitação das prefeituras envolvidas no trabalho.

“O convênio celebrado se insere na missão da Fundação Ezute, que é contribuir para transformação e melhoria da efetividade das organizações brasileiras, especialmente as públicas, através da oferta de soluções inovadoras em tecnologia e gestão”, disse o diretor da Ezute, Marcello Palha. Segundo o Presidente da ANPTrilhos, Joubert Flores, “com o crescimento e o rápido desenvolvimento das cidades, é necessário e urgente pensar em soluções para ampliar e aprimorar a inserção do modo de transporte sobre trilhos no planejamento urbano, e desse modo otimizar o deslocamento dos cidadãos”.

Dados da ANPTrilhos destacam que o sistema brasileiro de transporte de passageiros sobre trilhos tem ainda baixa participação na matriz de transporte urbano. Apenas 3,8% das viagens de passageiros urbanos no Brasil são realizados no sistema sobre trilhos. E, entre os sistemas de transporte público, o de trilhos eletrificados é o que mais gera ganhos para a comunidade, ao diminuir o tempo de deslocamento, o consumo de combustíveis, a emissão de gases poluentes e o número de acidentes de trânsito, melhorando a qualidade de vida do cidadão e criando condições para que as gerações futuras possam usufruir também das evoluções tecnológicas com sustentabilidade.