Fundação Ezute assina contrato para modernizar cobrança pelo uso da água das bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí

Parceria com agência local permitirá desenvolver e implementar sistema inovador para melhorar a gestão dessas bacias hidrográficas

 

Fonte: Agência PCJ

A Fundação Ezute acaba de assinar um contrato de parceria com a Fundação Agência das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí para desenvolver e implementar, em oito meses, o projeto de modernização e otimização do sistema de cadastro de usuários e cálculo de cobrança, e assim conseguir uma melhor manutenção e gestão no uso dos recursos hídricos da região.

As bacias hidrográficas envolvidas no projeto abrangem rios de domínio estadual e federal, numa área de 15.320 m2, sendo 92% no Estado de São Paulo e 8% no Estado de Minas Gerais, envolvendo 76 municípios e 5 milhões de habitantes. Os principais cursos d’água que integram essas bacias são os rios Atibaia, Atibainha, Cachoeira, Camanducaia, Capivari, Corumbataí, Jaguari, Jundiaí e Piracicaba. A Agência gestora das bacias será a primeira do Brasil a ter a cobrança pelo uso dos recursos hídricos implantada em ambos os domínios e em dois estados.

“Esse contrato é desafiador, estimulante e de evolução de conhecimento, pois a Fundação Ezute já vem atuando há um bom tempo na área de recursos hídricos, além disso representa uma oportunidade de contribuir com a Agência, apoiando a evolução de sua produtividade e efetividade”, afirma o diretor de Relações de Mercado da Ezute, Geraldo José de Azevedo.

Geraldo lembra ainda que a Fundação Ezute acumula em seu portfólio de soluções a implantação do sistema de outorga eletrônica no Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (DAEE), a sua integração com o Sistema de Suporte à Decisão daquela entidade, evoluindo para uma futura integração com o Sistema de Fiscalização.

Segundo o diretor administrativo da Agência das Bacias Hidrográficas PCJ, Ivens de Oliveira, o sistema é antigo e tem algumas limitações de funcionalidades. “Com esse contrato pretendemos automatizar o processo de cálculo da cobrança, que ainda tem algumas características manuais, e dar agilidade e maior rapidez nos trabalhos”.

No total, hoje estão cadastrados no sistema mais de 3 mil usuários, desde autarquias de saneamento e indústrias até produtores rurais. O diretor-presidente da Agência, Sergio Razera, ressalta que “o aprimoramento do sistema de cobrança reverterá em mais recursos para investimentos em várias áreas, como combate às perdas de água no abastecimento, tratamento de esgoto, proteção de mananciais, entre outras”.

O novo sistema poderá ser acessado de qualquer lugar com login e senha, pois o desenvolvimento será via web, onde haverá uma área de interação com o usuário, por meio do qual este poderá verificar o histórico da cobrança e toda a metodologia de cálculo que compõe o valor a ser cobrado.