3
out

Fundação Ezute vai desenvolver o novo Sistema de Gestão Ambiental e de Recursos Hídricos do Paraná

Fundação Ezute vai desenvolver o novo Sistema de Gestão Ambiental e de Recursos Hídricos do Paraná

Projeto conta com financiamento do Banco Mundial e visa tornar o processo de gerenciamento mais eficiente

A Fundação Ezute assinou um contrato com a Secretaria de Estado do Planejamento e Coordenação Geral do Paraná para desenvolver e implantar o novo Sistema de Informações para Gestão Ambiental e de Recursos Hídricos no estado. O projeto, chamado SIGARH, faz parte de um grande programa de modernização dos processos de licenciamento, outorga, fiscalização e monitoramento ambiental com o financiamento do Banco Mundial.

O contrato foi celebrado entre o Estado do Paraná, por meio da Secretaria de Estado do Planejamento e Coordenação Geral – SEPL, tendo como executor o Instituto das Águas do Paraná – AGUASPARANA e o Consórcio EZUTE/NHC, cuja liderança será exercida pela Fundação Ezute em parceria com Northwest Hydraulic Consultants – NHC (canadense), consultora internacional no segmento de recursos hídricos.

O projeto deverá ser desenvolvido com exclusividade para o estado e implantado em 21 meses. O trabalho envolve a análise do desenvolvimento e integração de subsistemas que vão compor o SIGARH, como um cadastro de recursos hídricos (SCRH), o monitoramento desses (SMRH), a gestão de bacias hidrográficas (SGBH), administração (SA), integração (SIN), informações geográficas (SIG), assim como a migração e modelagem de dados existentes.

Para o secretário de planejamento e coordenação geral do Paraná, Juraci Barbosa, o novo sistema vai refletir em qualidade de atendimento à população.  “Mais rápido, inteligente e moderno, ele trará mais agilidade e transparência aos processos”, completou.

“O novo sistema vai contribuir com a desburocratização do estado, modernizando os procedimentos e oferecendo  aos órgãos gestores serviços integrados e de maior alcance. Para o cidadão, o sistema permite a substituição do papel por meios eletrônicos, o acesso às informações via internet, maior confiabilidade dos dados, rapidez na liberação de processos e redução de custo. O resultado final irá propiciar uma gestão pública eficiente e conectada com as demandas da sociedade”, ressalta Geraldo Azevedo, diretor adjunto da Ezute para o Mercado Civil.

Atualmente, o Estado do Paraná recebe cerca de 35 mil processos de licenciamento ambiental e 10 mil processos de outorga. Pelo volume de trabalho, os órgãos responsáveis passaram a enfrentar morosidade e, decidiram assim, implantar um novo projeto de gestão para melhorar o atendimento à sociedade.

3
ago

Integração de ambientes marca reforma da sede da Fundação Ezute

Integração de ambientes marca reforma da sede da Fundação Ezute

Novo layout foi pensado para integrar equipes e receber diferentes gerações

   

No ano em que completa 20 anos, a Fundação Ezute reinaugurou a sede própria, localizada na Vila Olímpia, em São Paulo (SP), promovendo uma reestruturação interna com a derrubada das paredes, criação de novos espaços multiuso e maior integração entre equipes em um espaço de mais de 1 mil metros quadrados.

Projetado pelo escritório Andrade de Azevedo, o local passou por uma reforma completa que durou seis meses. O projeto respeitou um pedido especial de aplicação das técnicas de Feng Shui para harmonizar o ambiente de trabalho e motivar ainda mais os colaboradores. Para isso, as cores que representam a organização foram usadas de maneira a integrar os espaços e delimitar áreas, e assim tornar o ambiente mais acolhedor.

As equipes foram alocadas em estações de trabalho, garantindo maior interação entre todos os colaboradores, visando ao compartilhamento de informações e incentivo à inovação. O ambiente de trabalho foi pensado para receber talentos de todas as gerações. Afinal, a organização – cuja missão é contribuir para transformação das organizações brasileiras, especialmente as públicas, melhorando sua efetividade – conta com um quadro heterogêneo de funcionários em termos de faixa etária. A maioria (39%) deles é da geração Y (nascidos entre 1980 e 1995); 25% é da geração baby boomer (nascidos entre 1946 e 1964); 23% é da geração X (1965-1979); e, finalmente, 13% da geração Z, ou os nascidos após 1996.

Além das estações de trabalho delimitadas por pequenas divisórias entre as mesas, o ambiente interno conta com salas de reunião envidraçadas; Focus Room – espaços individualizados de uso comum para o desenvolvimento de uma atividade que exija maior concentração; Breakout Space – para atividades colaborativas; Área de Café para a realização de lanches e refeições rápidas; e Booths – ambientes mais descontraídos para a realização de atividades colaborativas.

”A todo momento estamos evoluindo, processos e tecnologias são renovados. Para suportar este movimento constante, essa melhoria continuada, reformulamos nosso ambiente de trabalho com um conceito mais humanista, afirma Carlos Henrique Hissao Muta, diretor Administrativo-Financeiro da Fundação Ezute.

3
ago

Fundação Ezute institui Diretoria para o Segmento Civil

Fundação Ezute institui Diretoria para o segmento Civil

Nova estrutura prioriza projetos nas áreas de saúde, segurança pública, melhoria da qualidade do gasto público, mobilidade e meio ambiente

Com forte contribuição na área de Defesa e reconhecida pela presença em projetos estratégicos nessa área, a Fundação Ezute entra agora em nova fase, buscando atuar com a mesma intensidade no segmento civil, no qual já acumula um portfólio sólido de prestação de serviços.

A fim de auxiliar entidades públicas a repensar o Estado, aprimorando a gestão, a organização criou a Diretoria para o Segmento Civil, comandada por Marcello Palha, executivo com passagens por grandes players nacionais e internacionais do setor. Além de Marcello, a área conta com a experiência do engenheiro Geraldo Azevedo, que sempre ocupou cargos de destaque na Fundação Ezute, onde está desde 2003, e que agora atuará como Diretor-Adjunto. E trouxe, também, a PhD Florencia Ferrer, especialista em inovação para o setor e que se une à equipe Ezute como Executiva de Gestão Pública.

Apesar de recém-lançada, a Diretoria para o Segmento Civil está inserida numa organização que dispõe de um histórico de projetos de sucesso, como o SIGA-Saúde e o Bilhete Único, ambos para a prefeitura de São Paulo; a gestão das instalações para esporte de alto desempenho dos Jogos Olímpicos 2016, prestando apoio ao Ministério do Esporte; o gerenciamento da implantação do Sistema de Informações Integradas da Sabesp; entre outros. A estratégia da Ezute para 2017 é priorizar projetos nas áreas da melhoria da qualidade do gasto público, saúde, segurança pública, meio ambiente e mobilidade.

“Estamos promovendo uma reestruturação organizacional para nos posicionarmos melhor no setor civil e conquistarmos o mesmo reconhecimento que já dispomos na área de defesa, além de ampliarmos nossa área de atuação”, comenta o novo diretor da Fundação Ezute, Marcello Palha.

Segundo ele, a Fundação Ezute levará sua vocação de parceiro isento para contribuir com a melhoria da gestão em todas as esferas de governo, oferecendo competência técnica e gerencial para o desenvolvimento de projetos que visem melhorar a vida da população.

Um dos diferenciais que a organização já oferece aos governos federal, estaduais e municipais é a concepção de projetos por contrato de Parceria Público-Privada (PPP). Sua atuação permeia desde a concepção do marco legal e do projeto de PPP até o processo licitatório e de contratação da empresa que irá desenvolvê-lo. Além disso, a Ezute é capacitada para fazer o papel de verificadora independente da licitação.

Currículo – Equipe da Diretoria para o Segmento Civil

Marcello Palha – Executivo com 20 anos de experiência. Com passagem por empresas nacionais e internacionais no segmento de Consultoria e Tecnologia como Accenture, Indra e Thales, possui experiência na Administração Estratégica, Tática e Operacional, com atuação na recomendação e implementação de novos modelos ou melhorias para o negócio, através do uso alinhado das tecnologias de mercado, fluxos e processos, nos setores público e privado. Possui sólida experiência executiva em administração e desenvolvimento de negócios.


Geraldo Azevedo –
Engenheiro Eletrônico com mais de 30 anos de atuação. Experiência multidisciplinar em organizações nacionais, com prática em gestão empresarial, desenvolvimento de mercado, elaboração de planos de negócios, gestão e planejamento de contratos e coordenação de serviços técnicos especializados em engenharia de sistemas. Profissional com vivência no desenvolvimento de relações institucionais, estruturação de sociedades de mercado, participação em missões empresariais, abertura de mercado internacional e modelagem de negócios estratégicos, tendo participado de Conselhos de Administração de empresas.

Florencia Ferrer – Socióloga pela Universidade de Buenos Aires, mestre, PhD e doutora pela Universidade de São Paulo, além de professora pesquisadora da Fundação Getúlio Vargas e da Escuela de Política y Alto Gobierno da Fundación Ortega y Gasset (Espanha). Especialista em inovação para o setor público, ajuda o primeiro escalão de governos da América Latina a repensar o Estado. Desenvolveu projetos voltados à reformulação de políticas públicas para presidentes, ministros, governadores e secretários de Estado, e trabalhou com organizações internacionais, com destaque para a OEA, BID e Banco Mundial. Foi também Diretora de Public Sector Innovation na KPMG.

2
jul

Fundação Ezute apresenta soluções para melhoria do gasto público em congresso de gestão pública

Fundação Ezute apresenta soluções para melhoria do gasto público em congresso de gestão pública

Organização leva suas experiências no setor público para evento que será realizado de 5 a 7 de julho, em Brasília

A Fundação Ezute vai participar do X Congresso Consad de Gestão Pública, organizado pelo Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração, que acontece esta semana, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

A organização vai disponibilizar para os participantes do evento informações sobre soluções para melhoria do gasto público através de programas desenvolvidos nas áreas de gestão patrimonial, saúde, educação e ganhos de escala com centralização de processos.  “O objetivo é apoiar o poder público no diagnóstico e concepção de soluções que garantam eficiência e eficácia na gestão, proporcionando transparência, otimização dos custos, aumento de arrecadação, desenvolvimento econômico e melhor tempo de resposta às demandas da sociedade, buscando sempre a melhoria da qualidade de vida da população”, explica Marcello Palha, diretor do segmento civil da Ezute. Entre os cases que estarão disponíveis no estande da Fundação, destaca-se a solução de melhoria de processos para gestão de patrimônio do estado de São Paulo.

Para reforçar a atuação civil e ampliar o trabalho na gestão da qualidade do gasto, a Fundação Ezute integrou à sua equipe a socióloga e especialista em inovação para o setor público, Florência Ferrer. Mestre, Phd e doutora em gestão pública, Florência será uma das responsáveis por projetos desse tema agregando a experiência de grandes soluções desenvolvidas para a reformulação de políticas públicas e trabalhos passados em organizações internacionais, como OEA, BID e Banco Mundial.

A organização também vai destacar como criar programas de Parcerias Público-Privadas desde a implantação da estrutura para viabilizar o processo de PPPs, até sua modelagem e aplicação em cidades e estados. “A Fundação pode oferecer um trabalho completo que organiza a instituição pública para iniciar uma PPP, além de possuir a experiência de diagnóstico, análise, busca e implantação de soluções, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida local, tendo como base um estudo financeiro robusto que justifique a implantação de cada projeto, em diversas áreas”, ressalta Marcello.

O X Congresso Consad de Gestão Pública terá, além da área de exposição, painéis e plenárias para discutir temas como estimativa de preços em compras públicas, custos dos trâmites públicos para a sociedade, nova forma de gestão, controle social e dilemas e desafios da burocracia.

15
jun

Fundação Ezute marca presença na Conferência de Simulação e Tecnologia Militar

Fundação Ezute marca presença na Conferência de Simulação e Tecnologia Militar

Evento que acontece nos dias 20, 21 e 22 de junho, em Brasília, também vai debater soluções práticas para o projeto Cobra 2020

A Fundação Ezute vai participar da sexta edição da Conferência de Simulação e Tecnologia Militar (CSTM), que acontece nos dias 20, 21 e 22 de junho, no Quartel General do Exército, em Brasília (DF).

Segundo a diretora para o segmento de Defesa da Fundação, Andrea Hemerly, a presença da Ezute no evento, que vai tratar de forma ampla o uso de tecnologia de defesa e segurança aplicada aos setores militar e civil, “reforça a parceria da instituição em projetos estratégicos das Forças Armadas do Brasil, além de ser uma oportunidade para trocar experiências sobre tecnologias, programas e apoiar a tomada de decisões importantes para o setor”, disse.

Em paralelo à realização da CSTM, acontecerá também o 1º Diálogo Sistema Soldado do Futuro (Projeto COBRA 2020), no qual a Fundação Ezute terá a oportunidade de apresentar ao Exército Brasileiro como poderá contribuir com a iniciativa.

O estande da Fundação Ezute estará localizado no espaço E8, onde o visitante poderá conhecer alguns dos programas/projetos já desenvolvidos pela organização, nas áreas de defesa e segurança pública.

Serviço

Conferência de Simulação e Tecnologia Militar (CSTM)
20, 21 e 22 de junho, das 9h às 17h
Brasília – DF
Mais informações: cstmexpo.com/

24
maio

Fundação Ezute – 20 anos

Fundação Ezute – 20 Anos

Uma história de êxito e contribuição em projetos voltados para autonomia e desenvolvimento do Brasil

A Fundação EZUTE, uma organização privada sem fins lucrativos que oferece soluções inovadoras, de tecnologia e gestão, para os desafios e problemas enfrentados por organizações públicas brasileiras, comemora 20 anos neste mês de março.

Criada em 1997 como Fundação ATECH, a organização foi designada pelo Governo Federal para ser a instituição integradora do projeto SIVAM/SIPAM (Sistema de Vigilância da Amazônia/Sistema de Proteção da Amazônia). No mesmo ano, a Fundação foi escolhida para outro grande desafio, ser a parceira da Força Aérea Brasileira (FAB), para absorção de tecnologia em sistemas de controle de tráfego aéreo.

Em pouco tempo, o Brasil conquistou o domínio de todo o ciclo do conhecimento dessa solução – abrangendo desde o desenvolvimento até a modernização de sistemas complexos para o controle e a defesa do espaço aéreo brasileiro.

A Fundação EZUTE atua também junto ao Exército e à Marinha em programas estratégicos como a  concepção de projetos para vigilância das fronteiras nacionais:  o atual  SISFRON (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras) e o SisGAAz (Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul); na gestão complementar e engenharia de sistemas do MAN-SUP (Projeto de míssil antinavio) e no programa de absorção de tecnologia do sistema de combate de submarinos do PROSUB (Programa de Desenvolvimento de Submarinos).

Mas não é apenas no setor de Defesa que a Fundação EZUTE tem trabalhado nessas duas décadas. A organização foi responsável pelo desenvolvimento do Bilhete Único, que integra todo o transporte público da cidade de São Paulo e do SIGA Saúde, o maior sistema de gestão da saúde pública do país, também para a capital paulista. No portfólio da organização há ainda projetos no desenvolvimento de simuladores para a Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, sistemas de gestão para empresas de energia e uma plataforma tecnológica de simulação de cenários complexos.  Esse histórico de sucesso credenciou a EZUTE como a organização parceria do Ministério do Esporte na gestão dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

“Somos uma organização de alta tecnologia, parceira do governo, que busca desenvolver e acelerar soluções que beneficiem toda a sociedade. Esses são apenas alguns exemplos das capacidades da Fundação EZUTE e o quanto a organização pode contribuir para o desenvolvimento do país, a melhoria dos processos produtivos e, consequentemente, a melhoria da qualidade de vida da população”, destaca o presidente da Fundação EZUTE, Eduardo Marson Ferreira.

Em virtude disso, a Fundação EZUTE inicia uma nova etapa em busca do reconhecimento como entidade de interesse público, nos moldes do que é praticado no exterior. Esse modelo de atuação já se consagrou com exemplos como Mitre Corporation e RAND Corporation, ambas atuando nos Estados Unidos.

Tanto as entidades americanas quanto a Fundação EZUTE têm como característica prover soluções inovadoras para órgãos e entidade públicas, de maneira isenta e transitando entre governo, indústria e academia de forma a garantir objetividade no desenvolvimento de projetos.

“Nesses 20 anos, acumulamos conhecimento e capital humano diferenciados. Entrando em uma nova fase, a Fundação EZUTE iniciou um processo interno de adequação de sua estrutura para atender aos requisitos da boa governança corporativa, o que nos dará novas perspectivas para atingir nossa missão principal de contribuir com o país e com a sociedade como um todo”, conclui Marson.

Linha do Tempo

1997 – Criada a Fundação ATECH: Conceituação do Sistema de Vigilância da Amazônia – SIVAM; e Desenvolvimento de Sistemas para Trafego Aéreo e Defesa Aérea

1998 – Sistema para tornar mais ágil o atendimento de ocorrências na rede elétrica (Eletropaulo)

1999 – Tráfego Aéreo: modernização dos CINDACTAS (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo); Expansão dos APPs, Sistemas de Controle de Aproximação; Conceituação do CGNA (Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea)

2000 – Modernização tecnológica da Polícia Federal – Pró-Amazônia

2001 – Atuação no setor espacial com a participação no Satélite
Geoestacionário Brasileiro (SGB); Plataforma Multimissão para o projeto de plataformas de satélites

2002 – Reconhecida pelo Ministério da Ciência e Tecnologia como ICT
(Instituição de Ciência e Tecnologia); busca de novas oportunidades fora do setor de defesa com uso dual das soluções

2003 – Bilhete Único; Absorção de tecnologia e mapeamento do subsolo para ANP (Agência Nacional do Petróleo); SIGA Saúde na cidade de São Paulo

2006 – Novos contratos com a FAB em função da crise aérea; duplicação da capacidade produtiva da organização

2004 – Planejamento e Análise de Guerra Eletrônica; incubadora de inovação

2005 – Projeto P3: absorção de tecnologia embarcada para aviões de patrulha marítima

2006 – Sistema Tático de Combate de Submarinos

2007 – SISFRON

2008 – SIGA Saúde em Diadema; Sistema Integrado de Gestão e Análise de
Programas da Secretaria de Esportes de São Paulo; Programa de modernização tecnológica da Câmara Municipal de São Paulo; Sistema de Controle de Produtos Químicos para o Ministério da Justiça

2010 – MAN-SUP; participação em offsets para absorção de tecnologia

2011 – SisGAAz e PROSUB; Sistema de Gestão de Outorgas do Estado de São Paulo

2012 – Gestão dos Jogos Olímpicos Rio 2016

2013 – Mudança de nome para Fundação EZUTE; Simulador de treinamento para Usina Hidrelétrica; Projeto Integrado de Informações da SABESP

2014 – Certificação como Empresa Estratégica de Defesa (EED)

2015 – Apoio ao Mapeamento Digital de Tocantins; Projeto preliminar do
Sistema de Combate do Submarino Nuclear

2016 – Novos rumos na governança com Eduardo Marson Ferreira assumindo a presidência da Fundação e Tarcísio Takashi Muta dedicando-se à presidência do Conselho de Administração; Mapeamento Digital do município de São Paulo

 
Veja mais em:
24
maio

Fundação Ezute assina novo contrato com a DCNS durante a LAAD

Fundação Ezute assina novo contrato com a DCNS durante a LAAD

Evento também marca comemorações dos 20 anos da organização

assinaturalaad

Crédito da imagem: site Defesanet

A Fundação Ezute e a empresa francesa DCNS renovam a parceria iniciada em 2011, com a assinatura de um aditivo ao contrato vigente. A formalização dessa nova etapa foi realizada no dia 5 de abril, às 17h, no estande da Ezute na LAAD Defence & Security 2017 (Pavilhão 2, estande X-34). O evento também marcou as comemorações pelos 20 anos da Fundação Ezute.

O novo contrato contempla nova etapa de treinamentos da equipe da Fundação Ezute, realizados na França, como parte do programa de transferência de conhecimento e tecnologia do Sistema de Combate do Submarino Brasileiro (S-BR), dentro do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB). Um grupo de engenheiros da Fundação Ezute permanecerá por dois meses na sede da DCNS, em Toulon, na França, para uma nova etapa de treinamentos e absorção de tecnologia. A equipe também irá acompanhar os testes de aceitação do Sistema de Combate, realizados em plataforma (Combat System Shore Integration Facility – SIF). Após esse evento, uma etapa complementar de atividades de treinamento será realizada no Brasil.

André Portalis, diretor do Programa PROSUB pela DCNS, declara: “ A DCNS está muito satisfeita pela nova etapa alcançada com a Fundação EZUTE, o que confirma o compromisso do grupo em transferir conhecimento para empresas brasileiras no âmbito do programa de nacionalização definido conjuntamente com a Marinha do Brasil para o programa de Desenvolvimento de Submarinos PROSUB.”

A DCNS, na qualidade de fornecedor e integrador de sistema de combate “State of the Art” é responsável pela integração e performance do sistema SUBTICS instalado nos submarinos S-BR e SN-BR e está contribuindo para a capacitação dos profissionais da Fundação EZUTE, líder brasileira na expertise de integração de sistemas complexos na área de Defesa.

“Essa nova etapa reforça o compromisso da Fundação Ezute em ser a organização brasileira parceira da Marinha para manutenção e evolução dos Sistemas de Combate de Submarinos, do PROSUB e de atuar em prol da autonomia e soberania nacional”, conclui o presidente da Fundação Ezute, Eduardo Marson Ferreira.

 
Veja mais em:
2
abr

Soluções da Fundação Ezute na área de defesa durante a LAAD

Fundação Ezute : Soluções na área de Defesa durante a LAAD

Evento também marca comemorações dos 20 anos da organização

A Fundação EZUTE levará toda sua expertise no desenvolvimento de soluções que contribuam para o domínio e aplicação de tecnologia, inovação, competitividade e eficácia gerencial para a LAAD Defence & Security 2017, que acontece de 4 a 7 de abril, no Riocentro. O evento também marca as comemorações dos 20 anos da Fundação EZUTE, completados este ano. Os visitantes poderão conhecer um pouco mais sobre a história da organização e sobre os diferenciais das soluções empregadas no estande da EZUTE (Pavilhão 2, estande X-34).

Em seu portfólio, a Fundação conta com diversos projetos de interesse nacionale regional com foco no desenvolvimento e soberania. Dentre os projetos voltados para atender a Defesa vale destacar a concepção do Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (SISGAAz); a gestão complementar e engenharia de sistemas do projeto de míssil antinavio (MANSUP); e o programa de absorção de conhecimento e tecnologia, na França, do sistema de combate de submarinos do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), todos projetos complexos da Marinha do Brasil. A EZUTE também foi responsável por antecipar os primeiros passos do sistema que deu origem ao SISFRON – Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras.

E, para isso, a organização consolidou a adoção dos conceitos de system engineering, que oferece uma visão holística em todas as etapas do processo de desenvolvimento de um projeto e que tem uma abordagem multidisciplinar. Ao prestar serviços intensivos em conhecimento, em parceria com o cliente, a Fundação EZUTE reúne especialistas capacitados, combina conhecimento de diversas fontes, concebe, especifica, planeja e converte os conceitos complexos em informações acessíveis aos tomadores de decisão nas organizações, disponibilizando-as por meio de sistemas.

Entre os sistemas a serem apresentados, destacam-se:

SisGAAz – Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul

Vai contribuir para a segurança e o controle da navegação marítima por meio de observação contínua, com o propósito de assegurar a presença do Estado no monitoramento, na proteção e na preservação dos recursos da costa marítima brasileira e hidrovias. A concepção de todos os sistemas e a integração aos demais órgãos formam uma rede de sensores terrestres e marítimos, centros de controle, monitoramento aéreo e ambiental, além de procedimentos de pronta resposta que permitem a vigilância e a proteção da riqueza marítima, incluindo o pré-sal.

MANSUP – Gerenciamento complementar e engenharia de sistemas do projeto de míssil antinavio

Apoio à Marinha do Brasil na nacionalização do Míssil Antinavio de superfície, do qual participam várias empresas brasileiras da Base Industrial de Defesa. Envolveu o desenvolvimento de uma plataforma de gestão dedicada e a responsabilidade de apoiar o cliente na definição e implementação da metodologia para gerenciar o desenvolvimento do projeto e nas atividades de engenharia de sistemas correspondentes, passando pela consolidação e gestão dos requisitos técnicos do míssil, da interface entre todos os subsistemas e das atividades de validação dos componentes do projeto.

Sistema Espacial Brasileiro

Estudo de viabilidade e especificação do satélite geoestacionário brasileiro de comunicação, além do projeto para o desenvolvimento do sítio de lançamento do Cyclone 4. Participação no gerenciamento do projeto Plataforma Multimissão para Lançamento de Satélites, sob responsabilidade do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e coordenado pela Agência Espacial Brasileira (AEB).

SIVAM/ SIPAM – Sistema de Vigilância e Proteção da Amazônia

Empreendimento pioneiro em termos mundiais. Dotado de alta complexidade tecnológica e desafiador pelas suas dimensões geográficas, foi executado com visão de futuro para possibilitar o total controle sobre o patrimônio amazônico. Possibilitou a integração de ações para controlar e defender o território, o espaço aéreo e o meio ambiente, pela disponibilização de conhecimento e inteligência sobre a região, oferecendo bases relevantes para o suporte ao seu desenvolvimento sustentável. Também viabilizou as aeronaves de reconhecimento e alerta antecipado, um produto para exportação que permitiu à Força Aérea Brasileira modernizar seus planos e doutrinas operacionais e ao Brasil, dispor de um instrumento estratégico em geopolítica.

PROSUB – Programa de Desenvolvimento de Submarinos

A Fundação EZUTE atua no Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), da Marinha do Brasil, com foco na absorção de tecnologia, com objetivo de apoiar a Marinha na manutenção e evolução do Sistema de Combate dos submarinos. Segundo o acordo entre a Directions de Construction Navales et Services(DCNS) e a Marinha do Brasil, a DCNS é responsável por fornecer o Sistema de Combate para os quatro submarinos convencionais (propulsão diesel-elétrica) (SBR) e também para o primeiro submarino brasileiro de propulsão nuclear (SNBR). A Fundação Ezute foi selecionada para receber treinamento da DCNS referente ao Sistema de Combate dos submarinos convencionais do PROSUB e atualmente apoia a Marinha no projeto preliminar do Sistema de Combate do SNBR.

SDS – Simulador Didático do SiComFrag

A Fundação EZUTE desenvolveu para o Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW) um sistema de simuladores para treinamento dos operadores e mantenedores na identificação de avarias de interfaces do Sistema de Combate das Fragatas da Classe “Niterói” Modernizadas (SiComFrag). A concepção do SDS teve como inspiração a melhoria da qualidade dos cursos do CIAW, com a simulação de avarias de interfaces, aspectos não cobertos pelos simuladores de até então, com a possibilidade de complementação com a utilização do ambiente real a bordo das Fragatas. Os cursos do CIAW, que versam sobre Sistemas de Armas, são dedicados ao aperfeiçoamento de Oficiais nas suas funções técnicas na operação do sistema e a especialização e aperfeiçoamento de Praças em suas funções de manutenção a bordo.

Veja mais em:
20
mar

Fundação Ezute comemora 20 anos de história com parceiros, clientes e colaboradores

Fundação Ezute comemora 20 anos de história com parceiros, clientes e colaboradores

imagemredim

Entre as autoridades que prestigiaram a Fundação Ezute estavam o Secretário Municipal de Relações Internacionais de SP, Júlio Serson, o Secretário de Estado de Desenvolvimento Social de SP, Floriano Pesaro, o Secretário de Inovação e Tecnologia, Daniel Annenberg, e André Magalhães, assessor especial do Secretário Júlio Serson

 

imagemredim2.jpg

Autoridades prestigiam evento de comemoração dos 20 anos da Ezute. Da Esq. para Dir.: Secretário Municipal de Relações Internacionais de SP, Júlio Serson; Presidente da Fundação Ezute, Eduardo Marson Ferreira, Comandante da Marinha, Almirante Eduardo Bacellar, Presidente do Conselho de Administração da Fundação Ezute, Tarcísio Takashi Muta, Comandante da FAB, Brigadeiro Nivaldo Rossato, Comandante Militar do Sudeste, General de Exército Mauro Cesar Lourena Cid, Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim

 

2

O evento de comemoração dos 20 anos de Fundação Ezute reuniu também personagens importantes da história da instituição. Como é o caso do Tenente-Brigadeiro-do-Ar Marcos de Oliveira, que foi homenageado por seu papel determinante na criação da Fundação, e destacou que a Ezute é a realização de um sonho ousado. “A Fundação Ezute partiu da determinação de algumas poucas pessoas. Com certeza, a Ezute vai contribuir muito ainda para o Brasil. Ela adquiriu um grande conhecimento ao longo desses anos. E eu sempre dizia aos engenheiros que começaram essa história, se vocês tiverem a convicção que eu tenho, isso vai dar certo.”

 

 

3

Comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), Nivaldo Luiz Rossato, também prestigiou o evento de 20 anos da Fundação Ezute e recebeu uma placa de agradecimento das mãos de Eduardo Marson Ferreira e Tarcísio Takashi Muta.

 

4

Presidente da Fundação Ezute, Eduardo Marson Ferreira

 

5

Equipe Ezute comemora 20 anos da Fundação
6
O Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, também parabenizou a Fundação Ezute em seu pronunciamento.
22
dez

Sistema de Outorga Eletrônica é Referência de Sucesso

Sistema de Outorga Eletrônica é Referência de Sucesso

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Araguari (CBH Araguari) promoveu, no dia 8 de dezembro, em Uberlândia-MG, o Seminário Técnico: Outorga Eletrônica, para que a Fundação Ezute apresentasse o sistema desenvolvido para o Departamento de Água e Energia Elétrica do Estado de São Paulo – DAEE. O evento contou com a presença de cerca de 60 pessoas, entre elas conselheiros do CBH Araguari, convidados e representantes da Superintendência Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – SUPRAM.

O Sistema de Outorga Eletrônica desenvolvido pela Fundação Ezute para o DAEE é a única solução no Brasil que contempla desde o preenchimento eletrônico dos requerimentos, até a análise técnica e publicação dos atos administrativos em Diário Oficial. O requerente também consegue acompanhar o andamento do processo e enviar a documentação pela Internet.

Com isso, busca-se agilizar e desburocratizar os processos existentes e tramitar eletronicamente todo o processo de outorga. Além disso, será possível padronizar o Parecer Técnico emitido, reduzir o tempo de resposta às solicitações e elevar a capacidade de gestão dos recursos hídricos no estado de São Paulo.

O especialista em engenharia de sistemas da Fundação Ezute, Nathan Facundes Santos, apresentou o histórico do projeto, conceitos e premissas adotadas, integração do Sistema junto aos demais instrumentos de gestão de recursos hídricos e operou a solução para os participantes, que puderam interagir durante o preenchimento de requerimentos e na tramitação até a análise técnica. Participaram, também, o analista de sistemas da Fundação Ezute, Daniel Canuto e a engenheira responsável pela implantação da solução junto ao DAEE, Regina Bragança.